Seres ultradimensionais. Sonia Rinaldi apresenta novas provas.

Escritor extradimensional Fabio Del Santoro e Tunia

Todo mundo sabe que eu sou um escritor extradimensional. Minha mente gravita em outras dimensões para trazer para a nossa dimensão, aspectos de outros seres que estão entre nós muitas vezes, mas que não conseguimos visualizar. Minha amiga Sonia Rinaldi é uma pesquisadora avançada sobre a vida extradimensional.

Seus  27 anos de pesquisas comprovam que seu trabalho é necessário para a nossa vida aqui na 3D. A ponte que nos une a outra materialidade pode ser comprovada fisicamente, com conquistas que estão sendo realizadas em seu laboratório de São Paulo. Agora ela está lançando mais uma coletânea de imagens e sons de seres humanos que partiram, de animais queridos que voltaram para mostrar que não morreram e dos seres extradimensionais. Veja esta imagem abaixo. Ela é apenas uma entre centenas de  imagens que você pode ver no conforto de sua casa e ver como as pesquisas estão cada vez mais avançadas!

Observe os olhos deste rosto feminino, com lindos  olhos grandes, uma boca vermelha e um pescoço fino, refletida em uma lâmina de vidro. É tudo o que alguém como eu e que todos os que acompanham o meu trabalho junto com os uranianos e outras raças do universo gostaria de ver.

Um rosto feminino, meio humano e meio ET

                                                                     Observe agora a imagem deste cão, que reapareceu no laboratório de Sonia para definitivamente dizer ao seu dono com o mesmo olhar amigo de sempre que ele não morreu! Se você quer aprender mais sobre este  assunto e quem sabe, ser um pesquisador também, este novo lançamento do trabalho de Sonia pode  ser adquirido no site do IPATI – Instituto de Pesquisas Avançadas sobre Transcomunicação Instrumental. O meu eu já reservei!

Provas e mais provas de que existe vida além da morte e que existe vida em outras dimensões do universo
Anúncios

10 thoughts on “Seres ultradimensionais. Sonia Rinaldi apresenta novas provas.

  1. O ipati retirou da sua pagina o “Boletim 32” [http://www.ipati.org/boletins_new/ptbr32/ptbr32.html] onde se afirmava que catástrofes ocorreriam em dezembro de 2012. Como nada aconteceu, tiraram a pagina do ar…
    Em vários trechos do site o ipati afirma ter uma postura cientifica. Tirar a pagina do publico não é honesto e nem cientifico. Postura científica implica em aprender com os erros.

    1. a postura é totalmente cientifica!!!!! quem conhece sabe!!!! o trabalho dessa pesquisadora e pessoa maravilhosa e o IPATI já resgataram muitas vidas, pessoas que perderam o sentido em continuar, mas graças a ciência, as vias técnicas foi totalmente possível, engraçado as pessoas, se baseiam em um detalhe e não conseguem enxergar o BEM que está por por trás de um trabalho, serio, respeitado…Nem o espiritismo que sigo me trouxe tanto conforto, alegria e paz!!!!! Passei por uma perda dolorosa, mas não vem ao caso…

      O amigo é perfeito por acaso????

      atenciosamente Heloisa Pimentel

  2. Nos tempos primitivos, antes de uma tempestade, um raio cai sobre a ramaria seca. Começa o incêndio da mata. As labaredas rubras volteiam no ar, ondulando sinistramente, e iluminando o céu com seu clarão terrífico.
    Os homens, acocorados em suas cavernas escuras e geladas, contemplam aterrorizados aquele demônio estranho, rubro e ondulante vindo do céu, que vence a chuva, resiste ao vento e devora as árvores, com estalos que são gritos de triunfo.
    Um dos selvagens, ousado e destemido, aproxima-se da floresta que crepita devorada pelas chamas; sente logo uma onda deliciosa de calor a aquecer-lhe o corpo tiritante melhor que as mais grossas peles de ursos ou de auroque, e vê, apesar da noite, os contornos negros das árvores, as nuvens do céu e os animais que fogem loucos de terror.
    • Hú – Hú – gritou o homem tomando nas mãos um ramo incendiado.
    Assim se fez, provavelmente, nos longínquos tempos da idade da pedra, a descoberta do fogo – a primeira fonte de luz.
    Data desse tempo a história da luz e dos artifícios inventados para obtê-la.
    Primeiro, eram as tochas e os archotes de resina; depois as lâmpadas de óleo, simples cavidades feitas na pedra das cavernas.
    No ano 400, fez-se a primeira lâmpada de metal mas só um milênio depois, é que se descobre essa coisa tão simples, que é o pavio de algodão.
    Inventa-se mais tarde a vela, feita a princípio, de gordura animal, depois de cera e parafina; isso representa, sem dúvida, um grande progresso, pois a luz é mais brilhante, desprende pouca fumaça e não oferece perigo algum de explosão.
    Com a descoberta do querosene, em 1870, aparecem os primeiros lampiões; nas cidades mais adiantadas erguem-se postes de iluminação nas vias públicas.
    As cidades eram, até então, escuríssimas, e uma excursão, à noite, representava uma aventura que exigia desmedida coragem.
    Dez anos depois, o francês Lebon descobre o gás acetileno, que dá uma luz mais forte e mais clara. Nessa mesma época. Edison inventa a lâmpada elétrica, que só começa a ser usada em 1910.
    A lâmpada de Edison é uma ampola de vidro, com um fio finíssimo de um metal denominado tungstênio.
    Dentro do vidro, rarefaz-se o ar, para evitar que o metal sofra a ação da ferrugem.
    Com a passagem da corrente elétrica, o fio metálico se aquece, fica rubro e desprende uma luz forte e brilhante.
    Faz-se hoje uma infinidade de lâmpadas com filamento de carvão, gás néon, etc.
    Os industriais chegaram a fabricar uma lâmpada de um metro de altura, capaz de produzir luz tão forte que seria avistada da Lua, se lá houvesse homens como nós observando a Terra.
    Longo foi o caminho percorrido pelo progresso na arte de produzir a luz! Partindo da fogueira do homem das cavernas, chegamos às lâmpadas elétricas de hoje!
    E para o futuro, que surpresas admiráveis não nos proporcionarão ainda as novas descobertas da ciência?
    Sonia, suas pesquisas comprovam que seu trabalho é necessário para a nossa vida. A ponte que nos une a outra materialidade pode ser comprovada fisicamente, com conquistas que estão sendo realizadas em seu laboratório de São Paulo. É assim que a humanidade evolui para um universo muito maior que nos espera. Ótimo trabalho – É a minha opinião – Um abraço a todos. ok

  3. como vai del meu nome é paulo vinicius eu faço parte do grupo gaemu grupo de amigos que estudam misterios e ufologia aqui na baixada santista guaruja sp o presidente do grupo é o ufologo renato martins a gente a tua na area mistica gostamos do seu trabalho eu sei que vc tem ligaçao com esses seres do bem e de luz a gente tem o nosso contato astral uma pessoa do grupo ja teve contato com um ser achamos legal o seus livros esse é o nosso blogger seja um amigo nosso tambem aqui no blogger http://grupo-gaemu.blogspot.com.br/

  4. Não são seres multidimensionais. São simplesmente o que sobrou no astral.
    Isto de comercializar livros ou cds com este conteúdo, em minha opinião, é abusar da boa fé daqueles que não tem conhecimento.

    Pura fantasia, puro desconhecimento das características do plano astral com suas 49 sub-divisões.

    Instruam-se, depois publiquem.

  5. Muito bons os resultados captados nas pesquisas da Sonia Rinaldi !
    Estes 2 casos estão bem nítidos e visíveis ! O ser feminino me pareceu, pelos olhos, ser mesmo uma extradimensional bem bonita!
    E o cãozinho, perfeito…adorei !

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s