O contato com os uranianos faz a gente desenhar!

Desde o início de meu contato com os seres de Urano, percebi que a sensação esclarecedora e amorosa que sentia, me levava a desenhar. Não sou desenhista, mas na hora que sentimos isso,  o que menos importa é como vai sair o desenho. O importante é despertar em nós o registro de que estamos tendo algum tipo de contato. E este registro é muitas vezes feito em forma de desenhos.   

Quando isso aconteceu comigo pela primeira vez, e isso ocorreu quando iniciaram meus contatos    telepáticos com uranianos e os seres de Antares, fiz desenhos como este ao lado, e percebi na hora que estava sendo influenciado por uma energia muito boa, que me fez desenhar até um pouco melhor do que costumava fazer geralmente.

Desenho inspirado por uranianos

Outro fato curioso e não menos importante, aconteceu com a amiga Cris Reik, que dias antes de eu ir visitar a artista plástica Rosa Teulb, me enviou este desenho, feito caseiramente. Mas ela me disse na ocasião. “Eu acho que a Tunia está por aqui.”

Ela não sabia que eu iria tentar obter um retrato através da capacidade de Rosa em se conectar com os seres extradimensionais. Mas foi isso que aconteceu.

Como contatar uranianos?

Horas depois, obtive o primeiro registro de Tunia feito por alguém que diz que não sabe desenhar. Nossa amiga Rosa é realmente muito modesta! E foi a partir desta imagem, que o artista plástico Paulo Bach deu tridimensionalidade para alguém da oitava dimensão.

Tunia agora estava pronta para ser a capa de Conexão Urano 4 e para continuar nos incentivando a contatá-la sempre que possível. Tanto que ela fez parte do cartaz que criei para minha palestra.

Mas os exemplos não param por aí. Cris Reik também consultou Rosa para ter o retrato de sua alma uraniana, e novamente, os

uranianos nos mostraram o quanto eles são parecidos entre si, e o quanto são diferentes!

Os uranianos também entraram em contato com Rosa para que ela desenhasse outra personagem do Comando Uraniano na Terra e assim foi feito!

Outros amigos e leitores também sentiram algo diferente que os levaram a desenhar, como o amigo César Alves e a

amiga Fernanda Lupina, que desenhou uma Tunia mais infantil e não menos doce, ao redor de seus parentes distantes, os golfinhos.

Por este poucos exemplos, acredito que outros virão em breve. Vejam este uraniano que intuiu nosso amigo de Curitiba, Guarany Jr. a desenhar um uraniano. Estas pessoas se conectaram com a energia uraniana e isso é um excelente sinal. Sinal de que existe uma conexão real e que pode ser demonstrada através de pessoas diferentes, que moram em lugares diferentes e que sentiram-se motivadas em registrar isso em forma de desenho, assim como eu faço através dos livros que escrevo. Para encerrar, uma das incríveis montagens de Cláudio Peque para nossa fan page no Facebook: A Filha Das Estrelas!

E também o desenho no estilo HQ do artista plástico  Elton Thomasi.

Quem sabe você que está me lendo agora também não fará um desenho dos uranianos ? Nunca se sabe…

Anúncios

FAZENDO CONTATO

Neste caminho de estudos e pesquisas sobre naves espaciais e seus tripulantes extraterrestres, pude constatar que de alguma forma, eu estou conseguindo entrar em contato com estes engenhos voadores e seus desconhecidos pilotos. Ao lado, uma pequena nave uraniana, ou uma canopla, fotografada por mim em Bocaina de Minas.

Provavelmente eu não vou contar nada de novo para poucas pessoas. Mas para muitas, pode ser o início de uma nova etapa aqui na terceira dimensão. Eu já tive contato algumas vezes com naves. A primeira aconteceu na cidade de Bertioga, na virada do ano de 81 para 82, e foi totalmente involuntário da minha parte, mas talvez não da parte deles.

A segunda ocorreu em Barueri, São Paulo, no ano de 2000/2001, este sim, um primeiro contato comandado telepaticamente pela Comandante Tunia, com a aparição de uma nave dentro de um lago.

O terceiro avistamento ocorreu na praia do José Menino, em Santos, em 2009, este a pedido meu. Uma bola de prata surgiu entre as nuvens.  E outro contato em janeiro de 2010, também a meu pedido, quando uma sonda surgiu a 50 metros de mim como um rojão que não explodiu, e posteriormente, o avistamento de uma nave triangular a menos de 100 metros de altura da casa onde resido hoje.

Analisando friamente, o avistamento de 81/82 foi rico em cores, tamanho e movimento. Hoje sei que eles queriam entrar em contato comigo, mas na época, não liguei tanto para o fato, mas fiquei impressionado. O contato com a nave uraniana submersa dentro de um lago com muitas bolas de luz acesas, quase não aconteceu. Apesar de eu ter recebido a mensagem telepática do avistamento, fui cético ao encontro, e se não fosse pela insistência de minha esposa em dar mais uma volta ao redor do local, não teria visto o que vi.

Oito grande bolas de luz branca foram sendo acesas simultaneamente diante de meus olhos completamente abestalhados. Eu não olhei para o lado e perguntei a minha esposa se ela estava vendo o que eu estava vendo e ela disse que sim, confirmando absolutamente tudo o que estava ali em nossa frente. Este avistamento durou aproximadamente uns cinco minutos, mas parecia que perdemos o contato com o tempo real e para nós, parece que aquilo havia durado no mínimo meia hora.Voltamos para casa com uma boa sensação e perplexos por termos visto algo tão diferenciado, e também por termos a promessa cumprida por parte de nossa querida Comandante Tunia.

A bola de prata em Santos apareceu assim

O terceiro contato aconteceu recentemente a pedido meu, e o pedido foi atendido meia hora depois. Eu caminhava todas as manhãs na praia do José Menino, em Santos, e eu comecei a expandir meus limites, pois sabia que, pelo fato de estar em contato direto com os extras para que pudesse escrever meus livros de esclarecimento interplanetário, também sabia que pelo conhecimento distribuído em suas páginas, eu teria condições de atrair uma nave que estivesse nas redondezas. Eu me coloquei telepáticamente enfático, me apresentando como um ser do planeta Terra: “Fábio Del Santoro estabelecendo contato com nave do Comando Intergalactico, Fábio Del Santoro estabelecendo contato com nave do Comando Intergalactico, existe alguma nave neste quadrante que possa entrar em contato? ” Eu repeti isso inúmeras vezes na caminhada e fiquei observando, observando e pensando.

avistamento em Bertioga 1982

Falava comigo mesmo: “Ora, se estamos em contato quase diário para produzir os livros, porque não podemos inverter o raciocínio e ativá-los? Se eles existem, se somos companheiros de trabalho, se eles nos querem bem….Qual é o problema de chama-los por aqui.?

Eu já estava quase no fim da minha caminhada de 5 km quando ouvi uma voz dizendo em minha mente: “Olhe para o céu. Estamos aqui!” Existiam algumas nuvens no céu e bem a minha frente, bem acima dos altos prédios que existem na avenida Presidente Wilson, tendo como cenário de fundo os belos morros santistas, surge, no sentido anti-horário, e no sentido inverso ao da rota dos aviões, uma bela bola de cor prata, saindo lentamente de trás de uma nuvem para cumprir um curto trajeto de aproximadamente 10 segundos até se esconder atrás de outra enorme nuvem que pairava por ali. Eu estava de óculos escuros e a bola de prata brilhou muito ao refletir a luz do sol, que estava brilhando em outra posição mais lateralmente. Eu tirei os óculos e a vi voar naturalmente, como se aquilo fosse a coisa mais natural possível. Para mim, foi mais uma prova de que não estamos sós, e que eles estão muito mais próximos do que podemos imaginar.

O quarto contato ocorreu seis meses depois. Comecei a sentir uma alegria muito boa, do nada, e quando isso acontece sei que eles estão por perto. Funciona como um chamado, uma saudação. Me posicionei na sacada de casa, o horário era por volta de 8 horas da noite, e comecei minha ladainha telepática novamente: “Fábio Del Santoro estabelecendo contato com nave do Comando Intergalactico, Fábio Del Santoro estabelecendo contato com nave do Comando Intergalactico, existe alguma nave neste quadrante que possa entrar em contato?”

A resposta demorou para vir, cerca de uns 15 minutos. Inicialmente, vi uma pequena bola de fogo, vermelha e amarela surgir do nada, do chão sentido céu, a uns 50 metros da varanda. Eu juro a vocês que achei que era um rojão que alguém havia soltado das casas ao lado, e que não havia explodido. Depois, nada aconteceu…ou melhor, quase nada. Fiquei por volta de mais vinte ou trinta minutos na sacada, e além de mosquitos e um morcego que deu rasante sobre minha cabeça, nada….

Canopla

Eu resolvi entrar, ciente de que não existia ninguém na área que pudesse entrar em contato visual. Quando coloquei o pé direito dentro do quarto e puxei a porta veneziana , a surpresa. Acima da casa flutuava sem emitir ruído algum, uma nave triangular totalmente apagada, apenas com um contorno preto, prata e detalhes na cor marrom em algumas partes. O que dava para ver era alguma emissão de calor de um aparelho que aparentemente media cerca de 30 metros de cumprimento.

O que eu achei que fosse um rojão que não explodiu, na verdade era uma canopla, ou uma sonda observatória que fez o seu papel de me avistar e avisar a nave com precisão para saber onde me localizava. Muito bem. Mais uma vez eu não me frustrei ao entender que poderia iniciar algum tipo de contato mais presencial com os pilotos destas naves maravilhosas e cheias de recursos que nem imaginamos. No BLOG DO DEL- MUNDO UFO, eu falo deste avistamento e o comparo com outros avistamentos ocorridos no mundo de naves triangulares.

O que posso afirmar com estas 4 experiências é que :

1. Avistamentos ocorrem por vontade deles ou por nossa vontade, talvez até inconsciente de ver uma nave.

2. Muitos destes avistamentos podem ter sido combinados fora do corpo físico, e esquecidos ao retornarmos.

3. O avistamento consciente depende de sua “Ativação Celular”, ou seja. Você precisa estar ativado para que seu corpo e seu cérebro estejam aptos para esta experiência. Também descobri que meus livros provocam ativações involuntárias em leitores que “vivem” o conteúdo das publicações.

4. O medo é sinal de que sua ativação não está completa, e que sua vontade não está estabelecida a ponto de realizar o contato.

5.  Não são naves terrestres. Mas podem ser intraterrestres.

6. O sentimento de felicidade é impressionante. Parece algo inexplicável e inquestionável.  Só quem passou por isso pode saber o que estou falando.

7. Não espere Obama anunciar que os ETs chegaram. Você não precisa esperar por isso. Peça o contato, e anuncie você mesmo que eles estão aí.  Mas antes, faça a ativação e se informe!